Fala, pessoal!

Um dos itens de português cobrados em concursos que nos tira o sono é Redação de Correspondências Oficiais. É um assunto que contém uma normativa para a criação de documentos oficiais no âmbito da nossa Administração Pública.

Aconselho a leitura do Manual de Redação Oficial do Tribunal de Contas do Distrito Federal (clique aqui para baixá-lo). Há muitos outros como o Manual de Redação da Presidência da República (clique aqui para baixá-lo), porém o primeiro eu achei mais simples e objetivo para uma leitura mais proveitosa, portanto falarei um pouco sobre a Redação de correspondências oficiais com base naquele documento citado.

A estrutura do Manual

O Manual de Redação Oficial do Tribunal de Contas do Distrito Federal contém a seguinte estrutura:

  • Primeira parte: Aspectos gerais da redação oficial;
  • Segunda parte: Atos oficiais do Tribunal; e
  • Terceira parte: Elementos de gramática;

A primeira parte do Manual mostra os aspectos gerais de uma redação oficial, qualidades e características fundamentais da redação oficial, orientações básicas sobre o ato de escrever.

Engana-se quem pensa que as informações ali descritas servem apenas para documentos oficiais. Lendo essa parte, podemos encontrar dicas para nossas redações dissertativas e até formas para escrevermos no nosso dia-a-dia. É um verdadeiro guia de boas práticas para nós seguirmos no momento de escrevermos qualquer texto, mesmo sendo um simples e-mail. Um exemplo: no Manual, há o seguinte trecho:

A eficácia da comunicação oficial depende basicamente do uso de linguagem simples e direta, chegando ao assunto que se deseja expor sem passar, por exemplo, pelos atalhos das fórmulas de refinada cortesia usuais no século passado.

Na minha opinião é isso que devemos procurar atualmente: buscar uma linguagem simples, objetiva e direta. Que me perdoe minha linda noiva advogada (meu bb lindo), por isso que alguns livros de Direito não me atraem para ler. :D

Um trecho da primeira parte que acredito ser muito importante e é muito cobrado nas questões sobre esse assunto é a impessoalidade ao redigir um documento oficial. Temos que ter em mente que a Administração Pública segue alguns princípios e dentre eles está o principio da impessoalidade. Há no Manual:

Desse modo, não há lugar na redação oficial para impressões pessoais, como as que, por exemplo, constam de uma carta a um amigo, ou de um artigo assinado de jornal, ou mesmo de um texto literário. É importante salientar que o caráter impessoal do texto é mantido pela utilização do verbo na terceira pessoa do singular ou plural, ou ainda na primeira pessoa do plural.

Em resumo, apenas podemos usar três tipos de pessoas gramaticais:

  • Terceira pessoa do singular;
  • Primeira pessoa do plural; e
  • Terceira pessoa do plural.

Muitas vezes já me deparei com questões do CESPE onde o avaliador joga um trecho em que havia um “eu” no meio e existia uma questão posterior perguntando se o trecho era correto de acordo com a redação de correspondências oficiais. Com certeza está errada, pois na Administração Pública não existe o “eu”, não espaço para promoções pessoais.

A segunda parte mostra as estruturas de atos oficiais. É a parte mais importante. Um tipo de questão relativo a essa parte é o CESPE lançar um desfecho de um documento contendo a assinatura, nome e o cargo de um funcionário e pergunta se é um desfecho de ata, ofício, memorando, etc. Alguns documentos precisam de uma finalização assim e outros, não, portanto precisamos ver quais possuem um final dessa forma. Adiantando, são poucos que não aceitam.

A terceira e última parte do Manual nada mais é que uma revisão da nossa gramática (contém regras da gramática antiga que ficará vigente até 2010).

Conclusão

Pessoal, não é um fardo ler esses manuais, pois podemos aproveitar muitas dicas interessantes principalmente para os candidatos que concorrem a cargos que exigem no mínimo uma redação na prova do concurso.

Também as questões desse assunto não são tão difíceis de se fazer, porém precisamos de um mínimo de noção das normas contidas nos manuais de redações oficiais. Uma boa fonte de treinamento é a prova de português feita pelo CESPE para o concurso do DETRAN/DF (http://www.cespe.unb.br/concursos/_antigos/2008/SEPLAGDETRAN2008/) que aconteceu neste ano de 2009. São 20 questões na faixa! :)

Valeu, pessoal!

About these ads