Galera!

Voltando à ativa depois das férias, quero compartilhar com vocês o depoimento do Gledson Rabelo, o grande Gled, que conquistou o 2º lugar no concurso do TCU para o cargo de Analista de TI. Seu depoimento é um exemplo de vida para todos que buscam vencer na vida.

Além de cabeçudo, o Gledson é camarada e gente fina. Mereceu com louvor as suas vitórias durante sua vida.

Eis seu depoimento:

Desejo que com a leitura deste depoimento todos se sintam capazes e motivados para alcançarem seus objetivos. Sem me prolongar, falarei rapidamente sobre minha educação para que possam entender algumas dificuldades que passei na minha preparação para os concursos. Estudei praticamente toda minha infância e adolescência em escolas de ensino público do interior de Rondônia. Durante os anos do ensino médio, trabalhava muito feliz em uma bicicletaria, como se já tivesse me sentido realizado profissionalmente, e não tinha a mínima idéia das palavras “vestibular”, muito menos “concurso público”.

Finalmente no meu trabalho conheci um computador … e mudou minha vida. Vamos ao que interessa: CGU, Câmara dos Deputados, Senado e TCU.

Minha primeira preparação para concursos foi o da CGU 2006. Vi o edital uns 10 dias depois de ser lançado e não tinha a mínima idéia do que era o órgão e nem sabia direito o que era a Constituição Federal. Mas era muito importante passar nesse concurso, pois minha noiva tinha assumido um concurso em outra cidade e era a oportunidade para ficarmos juntos novamente. Na época, me indicaram estudar pela apostila da Vestcon, então comprei as duas apostilas para o concurso da CGU que foram publicadas para cobrir aquela imensidão de matérias básicas. Separei o material específico de TI, que era composto basicamente por alguns livros de engenharia de software (Sommerville), materiais de certificação de redes e segurança (Network+ e Security+), Banco de Dados (Navathe), Auditoria de Sistemas (Joshua Imoniana) e, na época, como eu era especialista em Java, UML, CMMI, RUP, somente revisei essas matérias. Foram dois meses estudando das 19h até 1h, e nos fins de semana não tinha descanso… era pelo menos umas 12 horas por dia. A aplicação das provas se deu em 3 etapas: Prova1 (Conh. Gerais) , Prova2 (Conh. Específicos) e Prova3 (Conh. Especializados – TI). Senti que fui mal na Prova1 e Prova2, mas quando sai da Prova3, sabia que tinha ido bem e as esperanças continuaram vivas🙂. Resultado: 10º lugar de 66 vagas, fiz o mínimo na prova P1 e P2 e fiz a 2º maior nota do concurso na prova P3. Minha primeira conquista!!!  Foi uma emoção e felicidade muito grande quando vi meu nome na lista, todo o esforço e horas de sono perdidas foram recompensandos.

Acredito que um fator decisivo para essa aprovação foi a disciplina para estudar nos horários programados, superando o cansaço e o sono, foi um período sem barzinhos, festas ou praias (e olha que morava em Fortaleza :)). Estava 100% concentrado em atingir esse objetivo e realmente acreditava que era capaz! Outros fatores importantes foram o bom material de TI que consegui e a boa experiência que já tinha com desenvolvimento de sistemas.
Para mim, era o fim de uma carreira de concurseiro de 2 meses!!! Até que entrei na CGU e vi que o desejo/meta de muitos colegas era passar para o Legislativo para ter uma maior estabilidade financeira, ter uma carga horária menor, ter recessos, etc. Pensei: “Por que não?”. Então coloquei esse novo desafio na minha cabeça.

No início de 2007, resolvi entrar para um cursinho das matérias específicas para o TCU no Cathedra. Achei bem interessante o curso para obter conhecimento em matérias como ITIL, Cobit e PMBOK que nunca havia estudado. Na minha visão um cursinho é sempre proveitoso quando ou você já está com uma boa base e quer usá-lo para “aparar as arestas” ou quando ainda está um pouco longe do concurso e você deseja ir se aperfeiçoando. Provavelmente se tivesse feito um cursinho nos dois meses que tinha para estudar para a CGU, não teria sido tão proveitoso quanto o meu estudo em casa.

O próximo concurso foi o da Câmara dos Deputados em 2007. Minha estratégia de estudos continuou a mesma. Sempre achei interessante os materiais de certificação porque são bem objetivos e tem muitas questões para treinar. Estudava em média de 6 horas por dia e de 8 a 10 horas no fim de semana. Um elemento importante nessa etapa foi a criação de um grupo de simulados comigo, Michael Onishi (agora na CD), Edans (agora no TCU) e Márcio Braz (agora no TCU). Todo fim de semana, escolhíamos uma prova de concurso para simulado e montavamos o ranking da semana. Era uma forma interessante de praticar questões com o espírito de concorrência que existe na prova real🙂. As discussões das questões após a prova proporcionavam a troca de conhecimento e uma meta de curto prazo (“o simulado da semana”) sempre nos deixava motivado.

Para esse concurso, comprei os cursos para certificação ITIL e Cobit da TI.Exames, achei bem interessante (o de cobit atualmente não gosto muito, dá sono …). Para esse concurso também comprei o livro do Ramalho de Oracle10g, um livro de RUP e alguns outros.

Também adicionei aos meus estudos as técnicas de resumos e mapas mentais, pois achava que ajudava a organizar o conhecimento da matéria na mente, bem como manter a concentração durante o estudo. Algumas pessoas já me perguntaram se é um bom negócio fazer resumos/mapas, tenho a seguinte opnião: se a prova está muito próxima, pode ser um mal negócio, pois deixa seu estudo mais lento, entretanto, se a prova vai demorar alguns meses, eu recomendo, pois além de esquematizar melhor o conteúdo você terá uma fonte para revisão na semana que antecede a prova.

O resultado do concurso da CD foi ao mesmo tempo incrível e decepcionante! Fiz a maior nota de TI do concurso, um aproveitamento de 88% na parte específica, mas fiquei eliminado por 1 ponto na parte básica (português e conhecimentos gerais). Nesse momento, vi que uma boa base escolar teria feito a diferença… Mas o mais importante foi não me deixar abater!!! Fiquei feliz com o resultado, porque vi que estava em um bom nível para tentar o TCU que viria logo a seguir e que era meu real objetivo.

Para o TCU 2007, foquei bastante nas matérias básicas: português (para não repetir o ocorrido na CD), direito constitucional, administrativo e controle externo. Estudei pelos livros do Vicente Paulo e Marcelo Alexandrino, e o do Luiz Henrique para controle externo. Intensifiquei o uso dos métodos de resumos e mapas mentais. Procurava sempre discutir assuntos de estudos com os colegas para amadurecer os temas na minha mente e sedimentar um bom vocabulário para ser capaz de fazer uma discursiva. Continuamos com aquele grupo de simulados, mas agora resolvendo provas do CESPE. Um livro de redes interessante que agreguei aos meus estudos foi o do Forouzan, achei ele bem abrangente, compacto e objetivo. Outro livro foi o do Deitel de Sistemas Operacionais.

O resultado do concurso do TCU foi bem semelhante ao da CD. Eram 10 vagas, fiz a 2º maior nota de TI do concurso, 4º na nota objetiva, mas fiz uma redação ruim … cai para 19º. Foi a pior redação dentre as redações classificadas. Realmente português e redações não eram o meu forte. Esse momento foi difícil, tinha deixado escapar por muito pouco duas grandes oportunidades, mas estava consciente dos bons resultados que vinha obtendo e das minhas limitações que resultaram na não-aprovação, tinha que trabalhar essas limitações …

Um dos fatores importantes para hoje eu ter alcançado meus objetivos foi nunca ter parado de estudar, mesmo após a derrota estava lá eu já planejando e iniciando os estudos da nova fase. Estudar para concurso é uma questão de ritmo, se você perde o pique para estudar, é difícil voltar, então nunca entre na zona de conforto! Pensando assim, logo após o resultado do TCU 2007, comecei o planejamento e os estudos para o TCU 2008. Dessa vez meu foco era amadurecer o conhecimento resolvendo muitas questões e fazer muitas redações!!! Entrei para uma turma avançada no Cathedra, agora para as matérias não-TI. Foi sensacional o curso. Tive uma evolução muito grande nas matérias de direito e controle externo, sai dos livros do VP e MA e começei a ler livros de doutrinadores (Maria Sylvia, Alexandre de Moraes e Pedro Lenza). Acho que aqui cabe uma observação: não que eu recomende ir tão a fundo e ler esses livros, o ganho pode ser pouco para o custo de lê-los, foi uma escolha pessoal motivada pela empolgação do momento…

Na mesma época, entrei em um cursinho para redações e fiz o curso de discursiva de TI com o professor Gledson Pompeu (meu xará). Também, aproveitei o tempo amplo que tive para para reler vários livros de autores clássicos de informática, como Tanenbaum, Silberschatz e Kurose, alguns livros para certificação RUP e PMP, e os materiais oficiais do Cobit e do ITIL. Sempre procurei alternar as matérias gerais e específicas. Normalmente, estudava 1/3 do tempo as matérias básicas e 2/3 as matérias específicas. Assim, mantinha um equilíbrio entre as matérias e diminuia o cansaço de estudar sempre o mesmo conteúdo.

Quando chegou perto da prova, me senti preparado como nunca… mesmo sendo apenas 4 vagas, estava bastante esperançoso.

Com o resultado, fiz uma descoberta triste e muito importante na minha vida de concurseiro, não importa o quanto você esteja preparado, os astros tem que estar alinhados… (principalmente se for TCU hehehehhee). Fiquei eliminado por uma questão na matéria que sempre foi meu forte: a específica!

Depois desse concurso pairou uma tristeza e desilusão, mas minha esposa não deixou eu desistir. E concurseiro que realmente veste a camisa não desiste, bola para frente ainda tinha o Senado Federal e o TCU 2009. Saiu, após 20 anos, o tão esperado edital do Senado Federal. Fiz a aquisição de apenas mais um livro, o do Pressman, e comecei a estudar junto com ela assim que saiu o edital, agora peguei leve, estudava de 2 a 3 horas por dia, mais tranquilo e no ritmo dela. Percebi que estudando junto com ela aprendia muito mais, pois além de ficar mais concentrado, nós discutíamos bastante sobre os temas e eu tentava repassar o conhecimento que já tinha adquirido. Aproveitei muitos os mapas mentais, resumos e apresentações que já tinha preparado e fizemos muitas questões, resolvemos praticamente todo o SuperProvas dos assuntos abordados no Edital.

O resultado desse estudo tranquilo e o conhecimento e a experiência anteriormente adquiridos não foi outro: finalmente, depois de uma longa estrada, tinha passado no “Céunado”!!! Ôoooo que alegria!!!! Não me importava que a estrada tinha sido longa, a satisfação desse momento supera qualquer esforço.😀

Agora já tinha decidido abandonar a vida de concurseiro, mas surgiu a crise e os escandâlos no Senado, então começei a me preocupar se realmente seria chamado. Retomei os estudos ao TCU com uma grande revisão de tudo que já havia estudado, de forma leve e tranquila, + ou – 3h por dia. Gostei bastante dos livros de resumos de DCO e DAD do VP e MA. No momento que saiu o edital já havia revisado praticamente todo o conteúdo, intensifiquei um pouco os estudos (6 horas por dia), vi algumas vídeo-aulas do Cathedra para “aparar as arestas” e terminei de resolver todas as provas do Cespe desde 2004. Resolver uma grande quantidades de questões foi um fator decisivo tanto no TCU quanto no Senado!!!

Uma semana antes da prova, saiu minha nomeação no Senado, foi só felicidade e fui fazer a prova do TCU bem leve, sem preocupações ou pressões. Novamente os astros se alinharam para mim: 2º lugar de 18 vagas, e finalmente superei os problemas do português e da redação, obtive a maior nota da redação: 65,7 de 80 pontos.

Agora sim!!! Definitivamente estou aposentando minha carreira de concurseiro com duas ótimas opções para trabalhar pelo resto da vida, Senado e TCU. Ainda penso um dia em dar aulas, seria bem gratificante poder ajudar os colegas concurseiros a traçar um caminho mais curto que o meu … é um projeto que vou pensar futuramente, por enquanto, quero um descanso🙂.

Sei que o caminho que tracei foi longo, o que pode não animar alguns colegas, mas poderia ter sido bem mais curto se não fosse por pequenos detalhes, como também poderia também ter sido mais longo… Mas o que importa mesmo é a determinação, a persistência e o esforço! Com isso, cedo ou tarde você realizará seus sonhos. Não estude pensando no esforço, mas sim pensando nos resultados que você é capaz de alcançar e sempre acredite que você é capaz!!!

Forte Abraço a Todos!

Não estude pensando no esforço, mas sim pensando nos resultados que você é capaz de alcançar e sempre acredite que você é capaz!!!

[]s e até a próxima!

_________________________
Rogério Araújo
Blog: https://rogerioaraujo.wordpress.com/
Gmail: rgildoaraujo@gmail.com